Artesanato em Ipameri

 

 
   
   
   

 

 

 

Como opção de compras e presentes, Ipameri é rica na diversidade e variedade de seu artesanato.

Dos velhos casarões das fazendas, com suas rocas e teares, surgem magníficos exemplares de tecidos para cobertas e roupas, com desenhos de listras e estampas, desembarcados pela Missão Francesa, trazida por Dom João VI, ainda no Século XIX.

Também dos velhos casarões rurais, legaram-nos o artesanato em palha, taboca e bambu dando origem aos jacás e às peneiras, às esteiras e às cortinas, aos leques, às cestas, aos colchões  etc.

A madeira nos trouxe o mobiliário, o catre e as gamelas, as colheres e os pilões. Do couro e do pelo dos animais, vieram camas e tapetes, calçados, laços e sedenhos.

Das delicadas mãos das meninas-moças e da sinhá, vieram desenhos, pinturas e cerâmicas de utensílios, os bordados, as bainhas e os crivos  ornando enxovais, cortinas, camas e mesas  das famílias abastadas.

A cerâmica é a grande revelação no artesanato ipamerino. Com a produção de utensílios e objetos decorativos e de adorno, hoje apreciados e distribuídos pelo Brasil inteiro, pela Cerâmica Boa Nova e muitos ceramistas que de lá surgiram, com dons pessoais e aperfeiçoados, como artistas e artesãos.

Tivemos no passado, em três épocas diferentes a famosa e já tradicional Casa do Artesão João-de-Barro. Sempre suas portas de fecham e abrem por dependência do Poder Público Municipal que em trânsito pelas administrações, alguns concordam com a iniciativa e outros não vêem nela nenhuma importância, relegando-a, ou outra similar, ao quase total esquecimento.
Vale ressaltar que a primeira iniciativa de criação da Casa do Artesão foi da Sra. Margarida Fernandes Horbylon que concitando pessoas da sociedade, voluntariamente se reuniram em torno da idéia e no início da década de 80 inaugurou pela primeira vez a Casa na cidade. A segunda e a terceira iniciativas que com instrumentos de caráter permanente  nas mãos poderiam ter perdurado a iniciativa, ainda não logrou essa grande conquista para Ipameri.

A Loja de Artesanato da Cerâmica Boa Nova aberta ao público desde 1967 continua sendo o ponto da venda permanente de artesanato na cidade.

Vale ressaltar o comércio variado dos famosos doces e salgados da inigualável culinária local.